Woodframe permite erguer prédio de quatro pavimentos em seis dias.

Uma fórmula que tem se mostrado eficaz para obtenção de índices elevados de produtividade na construção de edifícios é a combinação de tecnologias off-site (produzidas fora do canteiro) potencializada por projetos e planejamento realizados em BIM (Building Information Modeling) e pela aplicação da metodologia lean construction (construção enxuta).

O Solar do Bosque, empreendimento em Guaíra, Paraná, comprova o sucesso desse mix. Construído pela Tecverde em parceria com a incorporadora Tectus, o residencial é composto por prédios de quatro pavimentos que somam 224 unidades com 52 m² de área cada.

Em nossos empreendimentos conseguimos ser de 2,5 a 5 vezes mais rápidos em comparação com os sistemas construtivos tradicionais – Caio Napoli.

Durante a construção do condomínio, cada torre foi montada em apenas seis dias com uma equipe de sete pessoas. Por conta deste feito, o empreendimento venceu o 2º Prêmio Produtividade do Mesmo Lado 2021, oferecido pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

“Em nossos empreendimentos conseguimos ser de 2,5 a 5 vezes mais rápidos em comparação com os sistemas construtivos tradicionais, além de reduzir a mão de obra no canteiro e impactos ambientais e de entregar uma habitação em conformidade com a ABNT NBR 15.575, Norma de Desempenho em habitações”, diz Caio Napoli, gerente de novos negócios B2B na Tecverde.

Ele aponta, ainda, outros benefícios conquistados com a industrialização. Entre eles, uma obra mais limpa e organizada, redução de 85% dos resíduos, economia de 90% em recursos hídricos, bom desempenho térmico e acústico, além da diminuição do risco de acidentes de trabalho. Para os empreendedores, a agilidade da obra pode agregar, ainda, outros ganhos, como redução do impacto dos indicadores da inflação na construção civil e a antecipação significativa do resultado financeiro do empreendimento.

INDUSTRIALIZAÇÃO COM WOODFRAME

O sistema construtivo utilizado pela Tecverde se baseia no uso de painéis de wood frame produzidos com montantes de pinus autoclavado. As paredes externas têm chapa de OSB, membrana hidrófuga, chapa cimentícia e acabamento convencional. Já as paredes internas são compostas por chapa de OSB e gesso acartonado. Tal configuração permite ao usuário fixar prateleiras e quadros em qualquer ponto da parede, sem parafusos especiais. Visando eliminar atividades realizadas no canteiro, paredes e entrepisos recebem, em fábrica, instalações hidrossanitárias, elétricas e esquadrias embutidas. O mesmo ocorre com a estrutura do telhado, que chega à obra pronta para içamento.

Embora o woodframe possa ser utilizado em edificações de diferentes padrões e tipologias, a solução da Tecverde tem obtido destaque na construção de habitações de padrão econômico. Isso em função do custo competitivo proporcionado pela industrialização combinado à facilidade do sistema de atender os requisitos da Norma de Desempenho. Com relação ao desempenho termoacústico, por exemplo, enquanto os métodos construtivos tradicionais reduzem, em média, 47 decibéis nas paredes, com o woodframe permite diminuir até 51 decibéis. O impacto ambiental também é reduzido, seja porque desperdícios de materiais são eliminados com a industrialização dos componentes, seja porque a madeira tem a propriedade de capturar carbono na atmosfera.

Napoli revela que até 85% das etapas construtivas de um empreendimento residencial como o Solar do Bosque podem deixar de acontecer no canteiro e serem transferidas para o ambiente fabril, onde há maior controle de qualidade e eficiência.

MODELAGEM DA INFORMAÇÃO DA CONSTRUÇÃO (BIM)

A criação de um modelo BIM tridimensional permite a avaliação completa de todas as interfaces construtivas de modo a prever problemas futuros de concepção de projeto – Larrie Andrey Cardoso.

Em um contexto de construção industrializada, o BIM é fundamental para o sucesso de um projeto, comenta Larrie Andrey Cardoso, coordenador de engenharia na Tecverde. Isso porque, uma vez que todos os tempos de execução são significativamente abreviados, o tempo de reação para resolução de problemas de projeto também cai drasticamente. “A criação de um modelo BIM tridimensional permite a avaliação completa de todas as interfaces construtivas de modo a prever problemas futuros de concepção de projeto, garantir a compatibilidade entre todas as disciplinas e desenvolver todas as soluções ainda em fase de projeto, onde existe uma maior capacidade de impactar positivamente os custos”, explica Cardoso.

Segundo ele, o modelo BIM também tem sido amplamente utilizado pela Tecverde na dimensão 5D, ou seja, para viabilizar a extração de quantitativos. Nesse caso, o objetivo é obter a elaboração de um orçamento executivo mais preciso, maior controle no consumo de materiais e previsibilidade nos custos.

Por: Juliana Nakamura

Matéria adaptada do portal: https://www.aecweb.com.br/

Para ler a matéria na íntegra acesse: https://www.aecweb.com.br/revista/materias/woodframe-permite-erguer-predio-de-quatro-pavimentos-em-seis-dias/23122?utm_source=sales_force&utm_medium=email&utm_term=&utm_content=&utm_campaign=boletim_aec_revista_digital